Rafael Reparador

Chamados para ser santos


Romanos 1:1-4,7

Segundo a Palavra, todos nós crentes temos um chamado irrevogável à santidade. A santidade é o DNA de Deus! Se formos filhos de fato, teremos dentro de nós a carga genética que confirmará essa descendência.
Deus é Deus Santo e todos os que dEle nasceram são igualmente santos.
Chamados para ser santos.
Versículo 7:
“A todos os amados de Deus, que estão em Roma, chamados para serdes santos”.
Roma era a capital do mundo daquela época. A Nova Iorque daqueles tempos. Se alguém ler a sua história naquele período poderá constatar sua decadência moral. Roma era uma metrópole forjada em princípios pagãos. Sua fama histórica é a de um lugar com hábitos moralmente decaídos, ás vezes bizarros. Não raramente ouvimos as histórias malucas de seus governantes. Histórias de loucuras, desvarios, perversões, crimes e tantas outras modalidades de atrocidades contra a dignidade humana.
Há um relato sobre Roma do escritor Benjamin Scott, no Livro “As Catacumbas de Roma” que traz à tona o baixo nível moral daquele povo:

“toda miséria moral duma religião cujos deuses eram debochados, bêbados, fratricidas, prostitutos e assassinos; cujos templos eram antros dos piores vícios, chegando alguns a só serem tolerados fora das cidades; cujas procissões, cortejos de indecências; cujos altares não raro se tingiam de sangue humano; cujas festas, as célebres bacanais e saturnais; cujo o ritual era o vício… No tempo de Augusto o casamento tinha caído em desuso. Se existia, era apenas para tornar a mulher escrava. A esposa era a que tinha que trabalhar, as concubinas e os cortesãos é que eram as amigas do seu senhor”.
Só coloquei esta pequena descrição para tentar ilustrar melhor o nível das ações daquele povo. Coisas que o Apóstolo Paulo descreve como sendo vergonha só o falar daquilo que faziam em secreto.
Todavia, o mesmo Apóstolo declara que Deus os havia chamado para ser santos!

O homem segundo a carne.
Versículo 3:
“o qual, segundo a carne, veio da descendência de Davi”.
O próprio Jesus tinha características e traços carnais. Ele era um homem comum, segundo a carne. Tinha DNA, uma história, uma família, como qualquer um de nós.
Este mundo é chamado de mundo natural. As coisas aqui são físicas. Deus criou a Terra, os planetas, os seres vivos, as plantas, os mares enfim, tudo, de modo que o homem pudesse interagir com a criação. Físico se relaciona com físico! Matéria interage com matéria!
Portanto, o próprio Jesus, mesmo sendo o Filho de Deus, um ser espiritual evoluído, necessitava de um corpo, de uma história, de uma família, para que pudesse ser gerado na realidade humana material.
Assim, havia no Senhor, características humanas. Segundo a carne Ele era filho de Davi.
Da mesma forma que um filho de pais orientais, ou negros, ou alemães carregará em seu corpo as características evidentes de seus antepassados, Jesus trazia em si as marcas de seus pais. Mas tudo isso segundo a carne!
Não posso saber qual a história de sua vida ou a de seus ancestrais. Talvez nem mesmo você conheça totalmente a história completa de sua família e nem saiba, assim como eu, desenhar a sua árvore genealógica, mas o fato é que assim como todos nós, Jesus veio de uma descendência terrena.
Em sua história familiar você poderá encontrar respaldos para algumas de suas atitudes, como um bisavô adúltero, um avô adúltero, um pai adúltero e você seguindo os mesmos passos. Uma bisavó depressiva, uma avó depressiva, mãe também e eu estou ficando igual.
Essas coisas podem mesmo passar de geração em geração. Mas há uma novidade que flui em nossas veias espirituais que simplesmente determinarão uma nova realidade e, nós, um novo destino para nossas vidas. O que veremos a seguir...

O homem segundo o Espírito.
Versículo 4: “
foi designado Filho de Deus com poder segundo o espírito de santidade”.
Jesus recebeu um novo batismo, uma nova identidade e assumiu sua nova personalidade em Deus. A Bíblia está dizendo para nós que Ele foi designado Filho de Deus e isto determinou em sua vida uma nova realidade.
Você pode ser ou não ser muita coisa em sua atual realidade física. Pode ser negro, branco, amarelo, vermelho. Da classe que for, seja qual for a sua realidade humana, isso determinará quem você é somente superficialmente. Porém, uma nova realidade poderá surgir no seu espírito, uma designação espiritual totalmente nova poderá fluir através de sua existência e isso ocorrerá com a influência do Espírito de Santidade.
Mas por que o Espírito de Santidade? Simples. Porque esse é o DNA de Deus. Ele é Santo e derrama sobre você a marca de Sua personalidade. Se somos de fato filhos de Deus, devemos nos tornar parecidos com o Pai. Se o filho do japonês é um japonesinho, um filho de Deus é um pequeno santo. Pois Deus é Santo! Todos os filhos carregam sobre si as marcas e os traços da vida do pai.
Portanto, segundo o Espírito de Santidade seremos recriados como filhos de Deus.
Nestes dias temos visto algumas pessoas dizendo-se filhos de homens famosos requerendo a paternidade e até uma parte na herança. Acredito que essa façanha da ciência genética na modernidade seja um sinal indicador do que está sendo colocado em questionamento no Reino do Espírito para esta geração. Não vai adiantar ninguém querer brigar na justiça por seus direitos como filho se não tiver em si o DNA de Deus.
Somente entrarão na herança do Pai Celestial aqueles que verdadeiramente possuem o DNA de Deus: A Santidade!
O poder da ressurreição.
Versículo 4:
“pela ressurreição dos mortos”.
Para recebermos a filiação com o Espírito de Santidade foi necessário que houvesse uma intervenção de poder. Nada acontece no mundo sem que haja esforço. Para que o Universo se mova é que haja uma fonte de energia. O mundo natural é movido e alimentando por diversas fontes de energia, a saber, o petróleo, a água, o álcool, o carvão, o vento, o sol etc.
É necessário que haja uma fonte de energia para que as coisas aconteçam. Quando Deus criou o mundo e todas as coisas sua Palavra foi fonte de poder. Deus disse: Haja luz! Houve uma reação do universo natural e depois de um tempo, houve luz. Sempre será preciso que uma fonte de poder desencadeie o processo.
Da mesma forma, para que Jesus fosse designado Filho de Deus a Palavra diz que foi necessário poder segundo o espírito de santidadepela ressurreição dos mortos. Este é o poder de Deus em nós!
Para que sejamos feitos santos filhos de Deus, é necessário que sejamos impactados pelo Poder da Ressurreição. É através deste poder que as obras mortas serão restauradas e você será levantado para uma nova vida.
Para que você possa filho de Deus e santo, é necessário que sua vida ressurja do meio da morte. Isto é ressurreição!
O espírito da ressurreição vai te fazer levantar do lugar de sua morte, seus pecados, suas cadeias, seu túmulo espiritual.
Assim como Lázaro, sendo chamado por Jesus, saiu de sua catacumba e ressurgiu para a vida, todos nós devemos abandonar as obras do corpo da morte e levantar para a santidade, que é a separação, a diferença entre filhos e não filhos.
Desfrute desse poder em sua vida e seja alçado para essa nova realidade de filho de Deus. Mas entenda que tudo isso não pode ser apenas nominal ou superficial, você não é filho somente por decreto, mas, sobretudo por atitude. Seja um genuíno filho de Deus crendo no poder da santidade que se desencadeia pela ressurreição.

Shalon,

Pr. Rafa

2 comentários:

tig disse...

caracas, gastei a letra no comentario e sumiu... agora nem lembro mais

TEATRO EMPRESA disse...

carne,espirito e alma...aprendi com Deus o Filho e o Espirito que viver em harmônia faz parte de um projeto divino...Divina Reflexão Pr,Rafa!