A ponte

Clique na ponte e siga em frente!

Menino de 7 anos perseguido pois não queria ir à igreja


Um menino de 7 anos foi perseguido pela polícia em Plain City, nos EUA, no último domingo, depois que pegou o carro da família.

"Os policiais tiveram que explicar para o pai do garoto que haviam perseguido seu filho".

"O pai confrontou o garoto, que admitiu que tinha dirigido o carro. Quando perguntaram por que ele pegou o carro, o menino disse que não queria ir à igreja."

Site do Show do Valadão em Poa

Regis Danese - o Nº 1 na Claro

"Faz um milagre em mim" é number one entre as músicas mais baixadas para os celulares dos clientes da Claro.
Que troço impressionante isso!!

Alguém poderia explicar que mistério é esse???

Clique na imagem para amplia-la!

Nokia é empresa mais “verde”


A cada três meses, o Greenpeace publica seu guia para eletrônicos mais verdes, o Guide to Greener Gadgets, mostrando quais empresas de tecnologia levaram adiante suas promessas para um futuro sustentável e quais não mantiveram sua palavra. Na última edição, publicada nesta quarta-feira, a Nokia, mais uma vez, é a empresa mais verde.

O guia se baseia em políticas para conter o desperdício eletrônico, mudanças climáticas e o uso de produtos tóxicos na composição de embalagens e produtos para compor uma espécie de relógio que vai de 0 a 10, representando os pontos alcançados pelas empresas em busca da perfeição verde.

Esse guia teve início em 2006, e desde então coloca em um ranking 17 empresas do ramo de informática, TV, celulares e consoles de vídeo game. E, desde o primeiro ano, a Nintendo figura em último lugar por não ter eliminado completamente o PVC de seus consoles e não ter programada uma data específica para isso.

A Nokia há quatro edições ocupa a primeira posição por estar sempre na busca da eliminação de produtos nocivos ao meio ambiente em seus aparelhos e por se preocupar com os seus itens descartados pelos consumidores ao criar um programa para recolher celulares usados. Empresas como a Sony despencaram mais de cinco posições por não cumprirem com sua palavra na eliminação de produtos químicos.

Segundo o blog Green Tech a Microsoft, apesar de nunca ter ficado em último lugar, ocupa sempre as últimas posições por possuir programas pobres e mal organizados de reciclagem e por não se preocupar o suficiente com a natureza.

A Apple se mantém no meio, sempre perseguida pelo Greenpeace para que retire químicos tóxicos de seus produtos. Samsung e Sony Ericsson ficaram pouco atrás do primeiro lugar por cumprirem o que prometeram à organização.

Ainda de acordo com o blog, o Greenpeace avisa que o e-waste (desperdício eletrônico) é o maior colaborador para o aumento do lixo nas cidades devido à freqüência com que as pessoas têm trocado de celular, computador e outros eletrônicos. Os dados da organização revelam que entre 20 a 50 toneladas de eletrônicos são jogados fora por ano em todo o mundo.

Fonte: Wviva

Mapa


Olá, amigos!!

Só pra informar que os Reparadores estarão no dia 8 de agosto, participando de uma grande festa de louvor e adoração no Pepsi on Stage, em Porto Alegre.
Na ocasião, estaremos abrindo, junto com outros adoradores o show de André Valadão.

Cremos que será um evento marcante para nosso estado.

Quem estiver afim de participar dessa grande festa, pode adquirir os ingressos nos postos Ipiranga do Iguatemi e da Borges de Medeiros e também na Multisom da Andradas.

Maiores informações ou compra de ingressos VIP´s ligue para a
Central de Atendimento no fone 3061-2000.


Anônimos


Ai, ai... os anônimos! Sempre tão corajosos e pesados em suas palavras. Não seriam eles uma manifestação da falta de identidade gerada pelas convenções eclesiais? Apontam seus agudos dedos na direção do que não compreendem, do que não sabem, do que não viveram, mas ainda assim, cheios de impáfia, semelhantes aos donos de sinagogas procuram agredir a todos os que pensam ou agem diferente deles. Pobres em todos os sentidos, na identidade pessoal, na qualidade e profundidade dos argumentos e na coragem de manifestar quem são.

Os bigodes do Mário


Nossa igreja


Fico feliz com o esclarecimento do Evangelho que tem sido trazido aos nossos corações!
Me reúno com muitas pessoas na minha casa, sem data programada, sem horário pra começar ou terminar, simplesmente nos reunimos por uma questão de querer estar juntos.
Tudo é muito simples e nossa dependência do Espírito é total, pois não há liturgia, não há nem músicas as vezes... simplesmente nos reunimos e de alguma forma sabemos que Deus está entre nós.
Se começamos a orar, nossos corações disparam, aquecem, é interessante...
É só isso, confiança, graça, amor, compaixão, igualdade, comunidade, compartilhamento de nossas fraquezas.

Convencionamos apenas uma coisa entre nós: a consciência de que o que nos une é o que não temos, ou seja, temos todos o mesmo desejo, a mesma fome e sede, a mesma privação: precisamos dEle e, juntos, buscamos uma forma de encontrá-Lo.

“Há abusos em nome de Deus”


Jornalista relata os danos do assédio espiritual cometido por líderes evangélicos

KÁTIA MELLO

A igreja evangélica está doente e precisa de uma reforma. Os pastores se tornaram intermediários entre Deus e os homens e cometem abusos emocionais apoiados em textos bíblicos. Essas são algumas das afirmações polêmicas da jornalista Marília de Camargo César em seu livro de estreia, Feridos em nome de Deus (editora Mundo Cristão), que será lançado no dia 30. Marília é evangélica e resolveu escrever depois de testemunhar algumas experiências religiosas com amigos de sua antiga congregação.

ÉPOCA – Por que você resolveu abordar esse tema?

Marília de Camargo César – Eu parti de uma experiência pessoal, de uma igreja que frequentei durante dez anos. Eu não fui ferida por nenhum pastor, e esse livro não é nenhuma tentativa de um ato heroico, de denúncia. É um alerta, porque eu vi o estado em que ficaram meus amigos que conviviam com certa liderança. Isso me incomodou muito e eu queria entender o que tinha dado errado. Não quero que haja generalizações, porque há bons pastores e boas igrejas. Mas as pessoas que se envolvem em experiências de abusos religiosos ficam marcadas profundamente.

ÉPOCA – Qual foi a história que mais a impressionou?

Marília – Uma das histórias que mais me tocaram foi a de uma jovem que tem uma doença degenerativa grave. Em uma igreja, ela ouviu que estava curada e que, caso se sentisse doente, era porque não tinha fé suficiente em Deus. Essa moça largou os remédios que eram importantíssimos no tratamento para retardar os efeitos da miastenia grave (doença autoimune que acarreta fraqueza muscular). O médico dela ficou muito bravo, mas ela peitou o médico e chegou a perder os movimentos das pernas. Ela só melhorou depois de fazer terapia. Entendeu que não precisava se livrar da doença para ser uma boa pessoa.

ÉPOCA – Que tipo de experiência você considera como abuso religioso e que marcas são essas?

Marília – Meu livro é sobre abusos emocionais que acontecem na esteira do crescimento acelerado da população de evangélicos no Brasil. É a intromissão radical do pastor na vida das pessoas. Um exemplo: uma missionária que apanha do marido sistematicamente e vai parar no hospital. Quando ela procura um pastor para se aconselhar, ele fala assim para ela: “Minha filha, você deve estar fazendo alguma coisa errada, é por isso que o teu marido está se sentindo diminuído e por isso ele está te batendo. Você tem de se submeter a ele, porque biblicamente a mulher tem de se submeter ao cabeça da casa. Então, essa mulher, que está com a autoestima lá embaixo, que apanha do marido - inclusive pelo Código Civil Brasileiro ele teria de ser punido - pede um conselho pastoral e o pastor acaba pisando mais nela ainda. E ele usa a Bíblia para isso. Esse é um tipo de abuso que não está apenas na igreja pentecostal ou neopentecostal, como dizem. É um caso da Igreja Batista, em que, teoricamente, os protestantes históricos têm uma reputação melhor.

ÉPOCA – Seu livro questiona a autoridade pastoral. Por quê?

Marília – As igrejas que estão surgindo, as neopentecostais, e não as históricas, como a presbiteriana, a batista, a metodista, que pregam a teologia da prosperidade, estão retomando a figura do “ungido de Deus”. É a figura do profeta, do sacerdote, que existia no Antigo Testamento. No Novo Testamento, não existe mais isto. Jesus Cristo é o único mediador. Então o pastor dessas igrejas mais novas está se tornando o mediador. Para todos os detalhes da sua vida, você precisa dele. Se você recebeu uma oferta de emprego, o pastor pode dizer se deve ou não aceitá-la. Se estiver paquerando alguém, vai dizer se deve ou não namorar aquela pessoa. O pastor, em vez de ensinar a desenvolver a espiritualidade, determina se aquele homem ou aquela mulher é a pessoa da sua vida. E o pastor está gostando de mandar na vida dos outros, uma atitude que abre um terreno amplo para o abuso.

ÉPOCA – Você também fala que não é só culpa do pastor.

Marília – Assim como existe a onipotência pastoral, existe a infantilidade emocional do rebanho, que é o que o Sérgio Franco, um dos pastores psicanalistas entrevistados no livro, fala. A grande crítica do Freud em relação à religião era essa. Ele dizia que a religião infantiliza as pessoas, porque você está sempre transferindo as suas decisões de adulto - que são difíceis - e a figura do sagrado, no caso aqui o líder religioso, para a figura do pai ou da mãe - o pastor, a pastora. É a tendência do ser humano em transferir responsabilidade. O pastor virou um oráculo. É mais fácil ter alguém, um bode expiatório, para pôr a culpa nas decisões erradas tomadas.

“O pastor está gostando de mandar na vida dos outros
e receber presentes. Isso abre espaço para os abusos”

ÉPOCA – Quais são os grandes males espirituais que você testemunhou?

Marília – Eu vi casamentos se desfazer, porque se mantinham em bases ilusórias. Vi também pessoas dizendo que fazer terapia é coisa do Diabo. Há pastores contra a terapia que afirmam que ela fortalece a alma e a alma tem de ser fraca; o espírito é que tem que ser forte. E dizem isso supostamente apoiados em textos bíblicos. Dizem que as emoções têm de ser abafadas e apenas o espírito ser fortalecido. E o que acontece com uma teologia dessas? Psicoses potenciais na vida das pessoas que ficam abafando as emoções. As pessoas que aprenderam essa teologia e não tiveram senso crítico para combatê-la ficaram muito mal. Conheci um rapaz com muitos problemas de depressão e de autoestima que encontrou na igreja um ambiente acolhedor. Ele dizia ter ressuscitado emocionalmente. Só que com o passar dos anos, o pastor se apoderou dele. Mas ele começou a perceber que esse pastor é gente, que gosta de ganhar presentes e que usa a Bíblia para se justificar. Uma das histórias que mais me tocou foi a de uma jovem que tem uma doença degenerativa grave. Ela foi para uma dessas igrejas e ouviu que se estivesse sentindo ainda doente era porque não tinha fé suficiente em Deus. Essa moça largou os remédios que eram importantíssimos no tratamento para retardar os efeitos da miastenia grave (doença auto-imune que acarreta fraqueza muscular). O médico dela ficou muito bravo e não a autorizou. Mesmo assim, ela peitou o médico e chegou a perder os movimentos das pernas. Ela só melhorou depois de fazer terapia. Ela entendeu que não precisava se livrar da doença para ser uma boa pessoa.

ÉPOCA – Por que demora tanto tempo para a pessoa perceber que está sendo vítima?

Marília – Os abusos não acontecem da noite para o dia. A pessoa que está sendo discipulada, que aprende com o pastor o que a Bíblia diz, desenvolve esse relacionamento aos poucos. No primeiro momento, ela idealiza a figura do líder, como alguém maduro, bem preparado. É aquilo que fazemos quando estamos apaixonados: não vemos os defeitos. O fiel vê esse líder como um intermediário, como um representante de Deus que tem recados para a vida dele, um guru. E o pastor vai ganhando a confiança dele num crescendo, como numa amizade. Esse líder, que acredita que Deus o usa para mandar recados para sua congregação, passa a ser uma referência na vida do fiel. O fiel, pro sua vez, sente uma grande gratidão por aquele que o ajudou a mudar sua vida para melhor. Ele se sente devedor do pastor e começa, então, a dar presentes. O fiel quer abençoar o líder porque largou as drogas, ou parou de beber, ou parou de bater na mulher, ou porque arrumou um emprego e está andando na linha. E começa a dar presentes de acordo com suas posses. Se for um grande empresário, ele dá um carro importado para o pastor. Isso eu vi acontecer várias vezes. O pastor, por sua vez, gosta de receber esses presentes. É quando a relação se contamina, se torna promíscua. E o pastor usa a Bíblia para dizer que esse ato é bíblico. O poder está no uso da Bíblia para legitimar essas práticas.

ÉPOCA – Qual é o limite da autoridade pastoral?

Marília – O pastor tem o direito de mostrar na Bíblia o que ela diz sobre certo tema. Como um bom amigo, ele tem o direito de dar um conselho. Mas ele tem de deixar claro que aquilo é apenas um conselho. Pode até falar que o resultado disso ou daquilo pode ser ruim para a vida do fiel. Mas ele não pode mandar a pessoa fazer algo em nome de Deus. O que mais fere as pessoas é ouvir uma ordem em nome de Deus. Se é Deus, então prova! Se Deus fala para o pastor, por que Ele não fala para o fiel? Eles estão sendo extremamente autoritários.

ÉPOCA – Você afirma que muitos dos pastores não agem por má-fé, mas por uma visão messiânica. Explique.

Marília – É uma visão messiânica para com seu rebanho. Lutero (teólogo alemão responsável pela reforma protestante no século XVI) deve estar dando voltas na tumba. Porque o pastor evangélico virou um papa que é a figura mais criticada no catolicismo, o inerrante. E não existe essa figura, porque somos todos errantes, seres faltantes, como já dizia Freud. Pastor é gente. E é esse pastor messiânico que está crescendo no evangelismo. Existe uma ruptura entre o Antigo e o Novo Testamento, que é a cruz. A reforma de Lutero veio para acabar com a figura intermediária e a partir dela veio a doutrina do sacerdócio universal. Todos têm acesso a Deus. Uma das fontes do livro disse que precisamos de uma nova reforma e eu concordo com ela. Essa hierarquização da experiência religiosa, que o protestante tanto combateu no catolicismo, está se propagando. Você não pode mais ter a conversa direta com o divino. Porque tem aquela coisa da “oração forte” do pastor. Você acha que ele ora mais que você, que ele tem alguma vantagem espiritual e, se você gruda nele, pega uma lasquinha. Isso não existe. Somos todos iguais perante Deus.

ÉPOCA – Se a igreja for questionada em seus dogmas, ela não deixará de ser igreja?

Marília – Eu não acho isso. A igreja tem mesmo de ser questionada, inclusive há pensadores cristãos contemporâneos que questionam o modelo de igreja que estamos vivendo e as teologias distorcidas, como a teologia da prosperidade, que são predominantemente neopentecostais e ensinam essa grande barganha. Se você não der o dízimo, Deus vai mandar o gafanhoto. Simbolicamente falando, Ele vai te amaldiçoar. Hoje o fiel se relaciona com o Divino para as coisas darem certo. Ele não se relaciona pelo amor. Essa é uma das grandes distorções.

ÉPOCA – Por que você diz que existe uma questão cultural no abuso religioso?

Marília – Porque o brasileiro procura seus xamãs, e isso acontece em todas as religiões. O brasileiro é extremamente religioso. A ÉPOCA até publicou uma matéria sobre isso, dizendo que a maioria acredita em algo e se relaciona com isso, tentando desenvolver seu lado espiritual. O brasileiro gosta de ter seu oráculo. A pessoa que vem do catolicismo, onde há centenas de santos, e passa a ser evangélica transfere aquela prática e cultura do intermediário para o protestantismo, e muitas igrejas dão espaço para isso. O pastor Edir Macedo (da igreja Universal) trouxe vários elementos da umbanda, do candomblé, porque ele é convertido. Ele diz que o povo precisa desses elementos -que ele chama de pontos de contato - para ajudar a materializar a experiência religiosa. A Bíblia condena tudo isso.

ÉPOCA – No livro você dá alguns alertas para não cair no abuso religioso. Fale deles.

Marília – Desconfie de quem leva a glória para si. Um conselho é prestar atenção nas visões megalomaníacas. Uma das características de quem abusa é querer que a igreja se encaixe em suas visões, como quere ganhar o Brasil para Cristo e colocar metas para isso. E aquele que não se encaixar é um rebelde, um feiticeiro. Tome cuidado com esse homem. Outra estratégia é perguntar a si mesmo se tem medo do pastor ou se pode discordar dele. A pessoa que tem potencial para abusar não aceita que discorde dela, porque é autoritária. Outra situação é observar se o pastor gosta de dinheiro e ver os sinais de enriquecimento ilícito. São esses geralmente os que adoram ser abençoados e ganhar presentes. Cuidado com esse cara.

Dia Mundial do Rock


Deus é muito mais rock do que as guitarras mais pesadas e “fritantes”. Do que os bumbos de bateria mais nervosos que existem. Do que os baixos mais contínuos e hipnotizantes. Do que os vocais mais densos e rasgados. Do que qualquer instrumento que possa fazer barulho nessa Terra.

Se escolher uma vida com Deus não for uma atitude rock’n’roll, então eu não sei mais o que pode ser.

É a nossa vida que precisa que gritar “NÃO” contra o estilo de vida que a sociedade atual nos impõe. É a nossa paixão por Deus que precisa pregar uma contracultura. É nossa escolha por coisas que o mundo não escolheria que precisam ser o grito de liberdade da nossa fé. Temos que ser um Festival de Woodstock diário!

Jesus é rock’n’roll, sim! Ele não suportou a hipocrisia dos fariseus. Não foi a favor dos bonitos e cheirosos. Mas andou com maltrapilhos, prostitutas, bêbados. Não buscou a fama do dinheiro, mas a autenticidade de uma vida verdadeira. E o que para mim é a melhor parte... ...Ele destruiu os símbolos mais adorados do rock: a morte e o diabo: I Cor. 15.55 Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?

Nós que carregamos a bandeira da fé. Que fazemos nosso rock carregado de coisas sobre Deus, e tanto mais. Deveríamos mudar nossa postura sobre sermos mais rock’n’roll.

A maioria das bandas que se proclamam cristãs estão mais dispostas em enfiar a grana no bolso, perderem a virgindade da sua fé, em troca de sucesso, fama e poder.

Tenho uma má notícia. Nem todos foram chamados para ser o Bono Vox.

Alguns passarão sua vida tocando para dezenas, outros para centenas, alguns poucos para milhares, e muitos outros poucos para milhões. Mas isso não é o que importa. Essa não é a chave que fará a diferença na vida de ninguém.

A grande diferença será causada por pessoas verdadeiras. Pessoas que realmente tenham a característica de um verdadeiro rockeiro: ser a contracultura desse mundo.

Não interessa se o seu rock é mais ou menos barulhento. Se você toca música celta com rock (como eu) ou hardcore. Não interessa se você vendeu 1, 10, 100, 1.000 ou 1.000.000 de CDs.

O que precisamos é cumprir aquilo que nos foi entregue quando optamos por ser o rock de Deus na Terra... ...apresentarmos o verdadeiro Deus Filho, aquele que de fato faz “as pedras rolarem”.

Vou encerrar parafraseando João 3.16:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu “Rock’n’Roll” para que todo aquele que nele crer, não pereça, mas tenha a vida eterna.

Afinal, “God gave Rock’n’roll to you!”


Extraído do texto de César Ricky Mendes

www.tehilim.com.br

Aforismos


“É tão fácil ser poeta, e tão difícil ser um homem"
(Charles Bukowski)



Cantor Silvio Maia Jackson

Pastor Silvio


Minha filha está rompendo a barreira da primeira infância nos próximos dias. Estará completando 4 anos de vida e eu e minha esposa achamos que temos sido bem sucedidos na educação dela.
Nossa preocupação tem sido em dar um padrão de educação com base nos princípios que temos aprendido com a Palavra de Deus e embora a gente pertença a uma igreja "alternativa", digamos assim, nossa filhota parece ter uma percepção mais esclarecida sobre os estereótipos evangélicos do que imaginávamos.

Ao entrar num site muito sem graça, porém, hilário ao mesmo tempo, quando perguntei pra ela quem era aquela pessoa, não exitou em responder: é o pastor!

Pra que você possa rir comigo, terá que entrar no site também:


Glória a Deus pelos filhotes que nos surpreendem sempre.

Shalon!

rafa

Resposta a e-mail de uma pastora amiga


Pastora querida!!

A angústia passa a fazer parte natural da vida de todos os que sinceramente têm buscado a perfeita vontade de Deus para si.
Não há como fugir disso!!! É uma premissa da vida no Espírito, pois a mesma inicia-se pela morte da carne.

Ontem "um irmão" esteve aqui em casa e eu lhe disse: a semente que caindo ao chão, não morre, fica só, mas morrendo, produz muito fruto, a 30, 60 e 100 por um.

É uma máxima da vida evangélica, pastora!!

Estamos vivenciando na própria carne a experiência dos apóstolos, dos patriarcas, dos heróis da fé. Sabendo que não somos dignos da estatura dos mesmos, mas reconhecendo que o Senhor nos separou nesta geração, para que o Rio de Deus não ficasse sem correr sobre a face da Terra e, para tanto, escolheu instrumentos deficientes, frágeis, de barro e sem honra, para transmitir a vida cristalina aos pobres, quebrantados e humildes de coração.

Enquanto isso, pastores de si mesmos, influenciados pelo Evangelho Babilônico do Paipóstolo - enquanto Jesus disse que a ninguém sobre a terra deveríamos chamar por pai, pois um só é o nosso Pai - buscam lucros, status e aviões, atraindo a adesão de crentes de luxo (que gostam da revelação e do mover, como Herodes gostava de João Batista) e descartam pessoas pobres, que nada têm a lhes agregar senão o delicioso volume de vidas, células e almas... todos esses, como Jeroboão, trabalham e dão suas vidas por Salomão e no momento em que esperavam receber a devida honra, são chutados pelo filho da imaturidade "Roboão".

A história está aí para nos ensinar sobre o futuro e eu sei o fim desta e não me delicio com ela!! Sinceramente.. mas será a divisão..

Em meio a isto tudo, a pergunta ainda ecoa: quem irá por nós?? Ou em outro lugar, pode se perguntar: Onde estão os filhos??

Vamos firmes!!

Pr. Rafa - Onda de Choque
Reparador de Brechas
51-9187-1987

Descontração evangélica


Alguns nomes de Igrejas Evangélicas.
NUma boa, só pra descontrair...

Igreja da Água Abençoada

Igreja Adventista da Sétima Reforma Divina

Igreja da Bênção Mundial Fogo de Poder

Congregação Anti-Blasfêmias

Igreja Chave do Éden

Igreja Evangélica de Abominação à Vida Torta

Igreja Batista Incêndio de Bênçãos

Igreja Batista Ô Glória!

Congregação Passo para o Futuro

Igreja Explosão da Fé

Igreja Pedra Viva

Comunidade do Coração Reciclado

Igreja Evangélica Missão Celestial Pentecostal

Cruzada de Emoções

Igreja C.R.B. (Cortina Repleta de Bênçãos)

Congregação Plena Paz Amando a Todos

Igreja A Fé de Gideão

Igreja Aceita a Jesus

Igreja Pentecostal Jesus Nasceu em Belém

Igreja Evangélica Pentecostal Labareda de Fogo

Congregação J. A. T. (Jesus Ama a Todos)

Igreja Barco da Salvação

Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação Para Cristo

Igreja Pentecostal Uma Porta para a Salvação

Comunidade Arqueiros de Cristo

Igreja Automotiva do Fogo Sagrado

Igreja Batista A Paz do Senhor e Anti-Globo

Assembléia de Deus do Pai, do Filho e do Espírito Santo

Igreja Palma da Mão de Cristo

Igreja Menina dos Olhos de Deus

Igreja Pentecostal Vale de Bênçãos

Associação Evangélica Fiel Até Debaixo D'Água

Igreja Batista Ponte para o Céu

Igreja Pentecostal do Fogo Azul

Comunidade Evangélica Shalom Adonai, Cristo!

Igreja da Cruz Erguida para o Bem das Almas

Cruzada Evangélica do Pastor Waldevino Coelho, a Sumidade

Igreja Filho do Varão

Igreja da Oração Eficiente

Igreja da Pomba Branca

Igreja Socorista Evangélica

Igreja 'A' de Amor

Cruzada do Poder Pleno e Misterioso

Igreja do Amor Maior que Outra Força

Igreja Dekanthalabassi

Igreja dos Bons Artifícios

Igreja Cristo é Show

Igreja dos Habitantes de Dabir

Igreja 'Eu Sou a Porta'

Cruzada Evangélica do Ministério de Jeová, Deus do Fogo

Igreja da Bênção Mundial

Igreja das Sete Trombetas do Apocalipse

Igreja Pentecostal do Pastor Sassá

Igreja Sinais e Prodígios

Igreja de Deus da Profecia no Brasil e América do Sul

Igreja do Manto Branco

Igreja Caverna de Adulão

Igreja Este Brasil é Adventista

Igreja E.T.Q.B (Eu Também Quero a Bênção)

Igreja Evangélica Florzinha de Jesus

Igreja Cenáculo de Oração Jesus Está Voltando

Ministério Eis-me Aqui

Igreja Evangélica Pentecostal Creio Eu na Bíblia

Igreja Evangélica A Última Trombeta Soará

Igreja de Deus Assembléia dos Anciãos

Igreja Evangélica Facho de Luz

Igreja Batista Renovada Lugar Forte

Igreja Atual dos Últimos Dias

Igreja Jesus Está Voltando, Prepara-te

Ministério Apascenta as Minhas Ovelhas

Igreja Evangélica Bola de Neve

Igreja Evangélica Adão é o Homem

Igreja Evangélica Batista Barranco Sagrado

Ministério Maravilhas de Deus

Igreja Evangélica Fonte de Milagres

Comunidade Porta das Ovelhas

Igreja Pentecostal Jesus Vem, Você Fica

Igreja Evangélica Pentecostal Cuspe de Cristo

Igreja Evangélica Luz no Escuro

Igreja Evangélica O Senhor Vem no Fim

Igreja Pentecostal Planeta Cristo

Igreja Evangélica dos Hinos Maravilhosos

Igreja Evangélica Pentecostal da Bênção Ininterrupta


E tem muito mais!!!

Joga Bjork


Todos os acidentes que acontecem seguem o mesmo ponto:

coincidência!

Tem sentido somente com você

Você não precisa falar

Eu sinto

Paisagens emocionais, elas me confundem

Então o enigma consegue ser solucionado


E você me empurra a isto:

Estado de emergência, como é bonito estar

Estado de emergência, é onde eu quero estar

Tudo aquilo que ninguém vê, você vê

O que está dentro de mim, todo nervo que dói, você cura

bem dentro de mim, você não precisa falar

Eu sinto!